Toalha jogada: Frejat anuncia desistência de candidatura

Pré-candidato do PR já avisou a Valdemar Costa Neto que está fora da disputa

Frejat tem estilo tranquilo e diz que não quer saber de pressões internas – Foto: Divulgação/ Facebook

Um café da manhã com o manda-chuva do PR, Valdemar Costa Neto, selou o futuro de Jofran Frejat na disputa ao Governo do DF. Depois de suspender a agenda do fim de semana e ameaçar deixar a disputa, ele avisou que não quer mais concorrer.

Embora o PR tenha acreditado – e até anunciado – que a crise seria contornável, o ex-secretário de Saúde deu um basta à pressão que vinha sofrendo de grupos dentro do partido: tanto do lado que se organiza em torno do ex-governador José Roberto Arruda quanto dos que rodeiam o ex-vice-governador Tadeu Filippelli. Indefinição do vice na chapa e até de cargos em um provável governo, cuja candidatura nem sequer foi registrada, seriam os maiores motivadores dos desentendimentos.

Frejat tem 81 anos. Gaba-se de ser experiente. Tem vida estável. Tem estilo mais tranquilo. E isso irrita os aliados. Partidos que fazem acordo – e já fizeram – com o grupo dizem que ele não é de simples negociação. E de velhinho bonzinho só tem a cara.

Depois de o próprio Frejat confirmar por telefone a correligionários que não está mais na disputa, um verdadeiro exército se encaminhou para a casa dele, na manhã desta terça-feira (17). Mas parece que ele está mesmo decidido a ficar na dele.

Os egos

Desde que um grupo de partidos de centro-direita começou a se organizar para fazer oposição ao governador Rodrigo Rollemberg nas urnas, já se anunciava que eram muitos os egos a serem administrados no que desenhava ser uma grande coalizão. Começariam a disputar a cabeça de chapa, já que cada um achava que era o melhor nome para se colocar no confronto. Dito e feito.

Melhor posicionado em pesquisas internas, Frejat se colocou na dianteira de um grupo, que foi se despedaçando ao longo do caminho. Fazer uma grande aliança para destronar o governador Rodrigo Rollemberg já no primeiro turno sempre foi o que defendeu Arruda. Daí, a tentativa de se recolocar no grupo partidos como PSDB e PSD. O nome do deputado federal Izalci Lucas, inclusive, era o preferido do ex-governador para ser candidato a vice na chapa. Enquanto que o ex-vice-governador Tadeu Filippelli defendia o do advogado Ibaneis Rocha (MDB).

O fato é que a instabilidade do grupo, totalmente partido, pode beneficiar Rollemberg, que tentará a reeleição, com a máquina na mão e com adversários completamente atrapalhados.

Millena Lopes



Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios

Poder no quadrado - Blog de política

Copyright © 2020 - Poder no quadrado | Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer texto ou foto deste site, em qualquer meio de comunicação, mesmo que citada a fonte, sem prévia autorização.

×Fechar