O fenômeno Ibaneis: dinheiro, desesperança e discurso da novidade

1 de October, 2018 - 13:04 Atualizado em 01/10/2018 13:04

Advertisements

Levantamento DataFolha coloca advogado em primeiro lugar nas intenções de voto. Entenda como ele chegou até lá

 

Ibaneis: muito investimento para se tornar conhecido em todo o Distrito Federal – Foto: Reprodução/Facebook

De ilustre desconhecido até poucos meses atrás, o advogado Ibaneis Rocha (MDB) passa a preferido dos eleitores do DF, conforme mostrou o último levantamento do DataFolha divulgado na sexta-feira (28). Candidato ao Governo do DF, ele disparou nas intenções de voto, isolando-se em primeiro lugar, com 24%. Ex-presidente da OAB-DF, Ibaneis aparece como opção para o eleitor desacreditado na política – o discurso dele é de que, embora esteja filiado ao MDB, é a novidade. Soma-se a isso o fato de ser a campanha com mais recursos financeiros, nos tempos em que os adversários mais reclamam de falta de dinheiro.

Cientista político, Leonardo Barretto aponta o desalento da população e a falta de alternativas como fatores que podem explicar a performance de Ibaneis nas pesquisas. “Ele não seria um candidato forte se o governador estivesse bem”, aponta o especialista.

O discurso de que não é político profissional e de que abrirá mão de salário e regalias também contribuem para construir uma narrativa, diz o cientista político. Advogado bem-sucedido, Ibaneis ainda domina técnicas de oratória e fala muito bem, nas entrevistas e debates.

Ibaneis tem espalhado aos quatro ventos que usa o próprio dinheiro para fazer a campanha. E, na condição de candidato com maior patrimônio – cerca de R$ 100 milhões -, tem investido pesado para chegar ao comando do Palácio do Buriti. “O poder financeiro faz muita diferença”, pontua Barretto, ao mencionar a capilaridade dele nas ruas, em função do grande número de cabos eleitorais.

A passagem dele pela OAB, conforme o especialista, também há de ser considerada nessa acensão, já que “é uma importante articuladora da sociedade civil no Distrito Federal”. Por trás dele, ainda tem toda a estrutura política capitaneada pelo ex-vice-governador Tadeu Filippelli, que preside o MDB no DF.

Com a margem de erro de 3 pontos percentuais, a pesquisa DataFolha divulgada pela TV Globo mostra Eliana Pedrosa (Pros) em segundo, com 16%, enquanto brigam pela terceira colocação o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), com 12%, e o deputado federal Alberto Fraga (DEM), com 10%. Rogério Rosso (PSD) vem em seguida, com 8%.

Números da pesquisa DataFolha encomendada pela TV Globo:

Pesquisa estimulada

  • Ibaneis (MDB): 24%
  • Eliana Pedrosa (Pros): 16%
  • Rodrigo Rollemberg (PSB): 12%
  • Alberto Fraga (DEM): 10%
  • Rogério Rosso (PSD): 8%
  • General Paulo Chagas (PRP): 4%
  • Alexandre Guerra (Novo): 3%
  • Miragaya (PT): 3%
  • Fátima Sousa (PSOL): 2%
  • Renan Rosa (PCO): 0%
  • Guillen (PSTU): 0%
  • Brancos/nulos: 13%
  • Não sabe: 5%

Rejeição

A rejeição ao governador Rodrigo Rollemberg ainda é a maior e ele continua a liderar o ranking dos menos queridos, com 52%.

  • Rodrigo Rollemberg (PSB): 52%
  • Alberto Fraga (DEM): 35%
  • Eliana Pedrosa (Pros): 34%
  • Miragaya (PT): 26%
  • Rogério Rosso (PSD): 26%
  • Fátima Sousa (PSOL): 24%
  • General Paulo Chagas (PRP): 20%
  • Renan Rosa (PCO): 19%
  • Alexandre Guerra (Novo): 18%
  • Guillen (PSTU): 18%
  • Ibaneis (MDB): 15%
  • Votaria em qualquer um / não rejeita nenhum: 2%
  • Rejeita todos / não votaria em nenhum: 6%
  • Não sabe: 5%

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 a 28 de setembro e, conforme a TV Globo, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número DF-03047/2018.

Deixe uma resposta