Candidatos ao governo se aproximam dos mais populares

3 de October, 2018 - 18:03 Atualizado em 03/10/2018 18:03

Advertisements

Rosso e Fraga declaram voto em Bolsonaro e quase todos exaltam a figura do ex-governador Roriz

 

Rosso ao lado de Izalci Lucas: Alckmin, que também é do PSDB, solenemente ignorado – Foto: Reprodução/Facebook

A pouquíssimos dias da eleição, candidatos ao Governo do DF se desesperam em busca de votos. E, para tentar convencer o eleitor de que são a melhor opção para governar a capital por quatro anos, tentam colar suas imagens nas de políticos populares, a exemplo do presidenciável Jair Bolsonaro e do ex-governador Joaquim Roriz, que morreu na semana passada.

Oportunismo? O deputado federal Rogério Rosso (PSD), por exemplo, cujo partido está reunido em torno da candidatura de Geraldo Alckmin para o Palácio do Planalto, não se furtou em voltar atrás e declarar, agora, voto em Bolsonaro. E minimiza o fato até de ter desistido de apoiar Álvaro Dias (Podemos), como já tinha prometido antes. Disse que o faz em nome de um “novo Brasil”.

A declaração de Rosso deixa em maus lençóis o senador Cristovam Buarque (PPS), da coligação dele, que já rechaçou, inclusive, até aceitar ser o ministro da Educação em um provável governo Bolsonaro.

Usou do mesmo expediente de Rosso o deputado federal Alberto Fraga (DEM), que já tinha manifestado apoio a Bolsonaro, mas declarou que estaria com Alckmin, quando o deputado federal Izalci Lucas (PSDB) se juntou à coligação. Mas, agora, diante da popularidade de Bolsonaro, primeiro nas pesquisas de intenções de voto, voltou a dizer que, na verdade, votará no candidato do PSL.

Em memória

Roriz, que já era bastante citado pelos que estudaram na escola dele, agora, diante da comoção pela morte dele, é lembrado por quase todos os candidatos. O próprio governador Rodrigo Rollemberg (PSB) acabou de batizar o trevo de triagem norte de Complexo Viário Joaquim Domingos Roriz.

O neto dele, Joaquim Roriz Neto, que é candidato a deputado federal, tem usado o tempo no horário eleitoral para agradecer a população pela solidariedade à família. E lembrado que carrega o nome do avô e o legado da família.

Eliana Pedrosa (Pros), cujo partido apoia Fernando Haddad (PT) no plano nacional, prefere não se manifestar quanto à preferência para a Presidência da República. Disse à Fátima Sousa (Psol), quando questionada, que terá tempo para se decidir.

Ouça aqui o comentário de Millena Lopes sobre o assunto na Rádio CBN, nesta quarta-feira (3)

Deixe uma resposta