Quem apoia Rollemberg no segundo turno?

7 de outubro, 2018 - 23:24 Atualizado em 07/10/2018 23:28

Psol e PT tiveram poucos votos. Toda a direita deve se reunir contra ele

 

Rollemberg e Rosso: aliança difícil de ser recomposta – Foto: Reprodução/Facebook

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) conseguiu um feito inédito no DF, que é chegar ao segundo turno das eleições. No dia 28 de outubro, ele enfrentará o advogado Ibaneis Rocha (DEM), que conseguiu sair dos 2% das intenções de voto, no início da campanha, para candidato mais votado da capital neste ano.

Com 41,97% dos votos (ou 634.008), Ibaneis confirmou o que as últimas pesquisas de intenções de voto vinham apontando. Ele deixa o governador em segundo, com 13,94%, ou 210.510 mil votos.

Outros candidatos, como Rogério Rosso (PSD), Fraga (DEM) e até Eliana Pedrosa (Pros) tendem a apoiar o advogado no segundo turno. Fátima Sousa (Psol) e Júlio Miragaya (PT) podem se juntar ao governador, em função da orientação partidária. Mas não tiveram votação expressiva, o que pouco contribui para a vitória de Rollemberg.

Fátima divulgou nota em que diz que, pelo menos, o cargo de governador não será disputado por dois candidatos da “direita endinheirada”. E, embora não tenha declarado, já deu dicas que deve se alinhar ao chefe do Executivo.

O caminho também é natural para que o PT siga, embora na atual legislatura, o partido faça oposição à atual gestão.

Assim como PSD, de Rosso. O partido está rompido com o governador e o caminho de volta não deve ser fácil de ser trilhado a esta altura do campeonato. Em nota, Rosso informou que, nesta segunda (8), voltará a se pronunciar sobre as eleições, mas não deixou claro se anunciará como deve se posicionar no segundo turno.

Fraga é adversário histórico, tanto que é conhecido pelo bordão: “Governador, respeita o povo”. Eliana poderia até apoiar Rollemberg, mas o vice na chapa dela – Alírio Neto – certamente não concordaria.

E o apoio do General Paulo Chagas (PRP), cuja perfomance nas urnas foi surpreendente? Será que o governador quer?

Do outro lado

Do lado de Ibaneis, há chance de se recompor o grupo, que rachou em função da desistência de Jofran Frejat (PR). Por isso, ele estaria em vantagem com relação ao governador.

Deixe uma resposta