Tribunal de Contas investiga contrato de contabilidade do Instituto Hospital de Base

13 de novembro, 2018 - 14:56 Atualizado em 13/11/2018 15:07

Ministério Público de Contas encontrou indícios de irregularidade na contratação da empresa Controler

 

Instituto Hospital de Base contratou a Controller em janeiro, oito dias depois da convocação – Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

O Tribunal de Contas do Distrito Federal decidiu receber a denúncia do Ministério Público de Contas sobre possíveis irregularidades na contratação de serviços de contabilidade por parte do Instituto Hospital de Base do DF. A decisão de investigar o processo foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (13). Agora, IHBDF e a empresa Controller Assessoria Contábil S/S terão 30 dias para se manifestarem.

A Controller foi contratada em 26 de janeiro, oito dias após o ato convocatório para a escolha da empresa ser divulgado. Apenas três concorrentes enviaram propostas, com preços completamente diferentes. “Essa disparidade de preços e a ausência aparente de critérios para convidar/participar as concorrentes chamam a atenção”, aponta a representação do Ministério Público de Contas.

Além da Controller, que ofereceu proposta de R$ 378 mil anuais (R$ 31,5 mensais), Vector Contadores e SF Contabilidade e Assessoria também apresentaram proposta de, respectivamente, R$ 2,4 milhões e R$ 1,1 milhão.

Contrato

O contrato com a Controller foi assinado e, menos de seis meses depois, a empresa pediu um aditivo alegando aumento de contratação de colaboradores no Instituto, o que estava gerando custos a mais para a empresa. Com parecer positivo do departamento jurídico do IHBDF, o aditivo foi firmado, em junho, levando o contrato ao valor final de R$ 472,5 mil anuais.

O Ministério Público também aponta irregularidades na modalidade escolhida para a escolha da empresa – pedido de cotação – e na ausência de ata de julgamento da escolha da empresa.

Deixe uma resposta