Comentário na CBN: será possível unir o PDT?

13 de February, 2019 - 14:03 Atualizado em 13/02/2019 14:03

Advertisements

Léo Bijos, Georges Michel e Reginaldo Veras: jantar com Carlos Lupi e Claudio Abrantes nesta quarta-feira – Foto: Ísis Dantas

O presidente do PDT, Carlos Lupi, vem a Brasília nesta quarta-feira (13) para jantar com a cúpula do partido no DF. A visita, no entanto, não é de cortesia. No cardápio, o mal estar do partido, que está completamente dividido no DF. Enquanto Reginaldo Veras pende para o lado da oposição na Câmara Legislativa, Claudio Abrantes está na Liderança de Governo e Léo Bijos na Secretaria da Juventude.

Enquanto, nos bastidores, fala-se que o encontro seria para enquadrar Veras, que estaria na contramão do partido, que é da base do governador Ibaneis Rocha, Bijos rechaça: “No PDT, existe diálogo”. Nas palavras do secretário, esta é só a primeira reunião do partido no ano e que a conversa servirá “para afinar a viola”.

Ele minimiza o fato de Veras estar quase na oposição e lembra que trata-se de independência. “Deputados têm convicções e independentes todos nós somos”, menciona, ao dizer que eventualmente ele pode até discordar de ideias e ações do governo Ibaneis, do qual faz parte.

Mas, se for enquadrado, Veras não deve recuar. Palavras dele: “Manterei, independentemente de qualquer coisa, a minha posição de independente”. Dentro do PDT, tem gente apostando que o deputado-professor será isolado até o ponto de só restar a ele a desfiliação.

Ele garante que jamais deixará a legenda: “Partido é uma coisa tão séria, que, para mim, é igual a casamento. Só saio se for expulso”. E diz que está no partido por causa das bandeiras históricas do PDT: trabalhismo e educação.

Veras e Abrantes são amigos, se dão super bem, em que pesem as divergências em relação ao governo. Para o deputado-professor, se houver respeito às posições de cada um, é possível ir “se entendendo”.

Memória

O racha no partido vem de longa data. Na campanha eleitoral do ano passado, o PDT chegou a lançar o nome de Joe Valle para se candidatar ao Governo do DF. O partido recuou e, depois de um acordo nacional com o PSB, acabou apoiando Rodrigo Rollemberg nas eleições. Claudio Abrantes ganhou carta branca para estar com Ibaneis Rocha e Reginaldo Veras na independência.

Com a vitória de Ibaneis, Abrantes ganhou a Liderança, Léo Bijos a Secretaria de Juventude. Veras permaneceu na independência. Agora, Carlos Lupi vem a Brasília para organizar o meio de campo.

Clique aqui e ouça comentário sobre o assunto na Rádio CBN

Deixe uma resposta