Servidores estão a caminho da revolta

12 de June, 2019 - 19:47 Atualizado em 12/06/2019 19:48

Advertisements

Supremo Tribunal Federal julga, nesta quinta-feira (13), recurso que vai disciplinar pagamento – ou não – da terceira parcela dos reajustes

 

Imagem de assembleia na Praça do Buriti, em 2015: em 2019, servidores estão insatisfeitos com governo – Foto: Tony Winston/Agência Brasília

É real e oficial: a lua de mel acabou! Mais de cinco meses de governo e a insatisfação dos servidores públicos com o governo Ibaneis Rocha é clara e notória. Sindicalistas, que até agora tem estado em modo de espera, já começam a ser pressionados pelas bases para se posicionarem contra o governo. O caldo deve engrossar nesta quinta-feira (13), quando o Supremo Tribunal Federal julgará um recurso apresentado pelo Governo de Roraima sobre o pagamento de reajuste salarial concedido sem previsão orçamentária, como foi o caso do DF, que, em 2013, aprovou uma lei que concede aumento para 32 categorias de servidores públicos.

Sindicatos estão confiantes de que a decisão, que tem repercussão geral, será favorável às categorias e mobilizam servidores a irem à Praça dos Três Poderes para acompanhar a votação. Como é o caso do Sindireta, que representa 17 carreiras e tem assembleia geral na porta do STF, na mesma hora em que ocorre o julgamento.

A decisão vai determinar se o governo fará mesmo o pagamento da terceira parcela, uma das principais promessas de campanha de Ibaneis aos servidores públicos. Caso o STF confirme a legalidade dos reajustes concedidos em 2013, a expectativa é de que a Justiça determine o pagamento da terceira parcela do reajuste, cujo impacto previsto é de cerca de R$ 1,5 bilhão por ano. A decisão do STF vai nortear os próximos passos dos servidores, segundo o SindSaúde, cuja diretoria se reúne também na tarde desta quinta.

Clique aqui e ouça comentário na Rádio CBN sobre o assunto

Deixe uma resposta