Advertisements

Coube ao vice acalmar os ânimos dos deputados distritais, após a discussão e o pedido de desculpas, “mas nem tanto”, do governador

 

Paco Britto ouviu e anotou demandas dos parlamentares em reunião que durou quase uma hora – Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Foi o vice-governador Paco Brito que foi à Câmara Legislativa pedir desculpas em nome do governador Ibaneis Rocha, depois que ele bateu boca com o deputado distrital Fábio Felix (PSOL). Ele se reuniu com os distritais, nesta terça-feira (20) com os parlamentares e levou a carta do número do Palácio do Buriti. Pediu calma aos deputados, ouviu pacientemente e anotou algumas reivindicações.

A ida de Brito ao Legislativo foi emblemática e consolida a imagem dele como pacificador, já que, na carta, Ibaneis relativiza o que fez, diz que agiu possivelmente de forma inadequada e chama a discussão de “pequeno incidente”. Sem falar que coloca na conta do presidente da Casa, Rafael Prudente, a discussão, já que foi ele quem tocou no assunto, na reunião de líderes.

Diz, na carta, inclusive, que foi surpreendido com o questionamento do presidente. E, nos bastidores, sabe-se que a irritação do chefe do Executivo é também com o Prudentinho, a quem ele apoiou para chegar ao comando da Casa.

Clique aqui e ouça o comentário na Rádio CBN sobre o assunto

O encontro de Brito com os deputados durou quase uma hora. Foi lá que o deputado Roosevelt Vilela (PSB) alfinetou, dizendo que, para criticar, o governador vai pessoalmente; mas, na hora do pedido de desculpas, manda um intermediário.

No Plenário, mais tarde, choveram discursos de crítica à atitude do governador e de solidariedade a Fábio Felix, que disse ter recebido pelo menos 13 ligações de colegas, após a discussão com o chefe do Executivo. Reginaldo Veras (PDT) foi um dos que dispararam contra Ibaneis: “O governador, calado, é um poeta.”

Leave a Reply