Advertisements

Delmasso cita números do Ministério da Saúde para justificar necessidade de se prevenir o aborto:  a cada dois dias, uma mulher morre em clínicas clandestinas – Foto: Rogério Lopes

O deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos) apresentou um projeto de lei para instituir no Calendário Oficial de Eventos do DF a Semana de Prevenção ao Aborto. A ideia do parlamentar evangélico e conservador é informar a população sobre os meios de contracepção admitidos pela legislação brasileira e os efeitos psicológicos e colaterais de um aborto na mulher e no feto.

A data será na semana do dia 8 de agosto, Dia de Conscientização Contra o Aborto. Delmasso sugere a promoção de palestras, seminários, campanhas e mobilizações.

E justifica a necessidade de se instituir a data, já que, a cada dois dias, uma mulher morre ao fazer um aborto em clínicas clandestinas, segundo o Ministério da Saúde. No Brasil, 1 milhão de abortos induzidos ocorrem todos os anos e levam 250 mil mulheres à hospitalização, argumenta Delmasso, para quem uma criança não merece ser assassinada por causa do medo, insegurança, ou divergência dos pais. “Todos aqueles que abortaram tiveram a oportunidade de nascer”, disse.

O parlamentar informa que, se a mãe não tem condições de cuidar de uma criança, em caso de uma gravidez indesejada, é possível entregá-la para adoção, mesmo durante a gravidez. Basta procurar a Vara da Infância e da Juventude.