Ex-Uber, Daniel Donizet propõe discussão sobre segurança de motoristas

Advertisements

Audiência pública marcada para o dia 8 de novembro reunirá representantes do governo e dos aplicativos

 

Donizet cita números da Polícia Civil: número de sequestro-relâmpago de condutores de Uber, Cabify e 99 saltou de 22 casos, em 2017, para 71 registros apenas nos seis primeiros meses deste ano – Foto: Reprodução/Facebook

Nos últimos dias, Brasília vem assistindo a vários episódios de violência envolvendo motoristas de transporte por aplicativos. Com uma profissão relativamente nova e em função da natureza da atividade, esses profissionais acabam ficando mais vulneráveis à ação marginal. Foram estas ocorrências que motivaram o deputado distrital Daniel Donizet (PSDB) a propor a realização de uma audiência pública para debater medidas de segurança nas condições de trabalho desses profissionais. Está marcada para o dia 8 de novembro, às 10h na Câmara Legislativa do DF.

Donizet, que já foi motorista de transporte por aplicativo, diz que é preciso discutir quais mudanças podem ser feitas pelas empresas com o objetivo de dar mais segurança aos condutores. Ele cita, que, nos últimos meses, esses profissionais têm sido vítimas de crimes como roubo, furto e até homicídios.

Foram convidados para o debate o Secretário de Segurança Pública, Anderson Gustavo Torres; o Secretário de Mobilidade, Valter Casimiro Silveira; o comandante geral da Polícia Militar do Distrito Federal, Julian Rocha Pontes; o diretor geral da Polícia Civil do Distrito Federal, Robson Cândido da Silva; o comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, Carlos Emilson Ferreira dos Santos; o diretor geral do Detran, Alírio de Oliveira Neto; os representantes das principais plataformas  de transporte por aplicativos: Uber, 99, Cabify, Drive Eva e Decar; e os motoristas.

Crimes

Somente em outubro, dois motoristas de aplicativo morreram no Distrito Federal. O corpo de Henrique Fabiano Dias Coelho foi encontrado no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) na madrugada do dia 13/10/2019 e o de Tiego Cavalcante no dia 11/10/2019, em Samambaia.

Segundo a Polícia Civil, a quantidade de condutores dos aplicativos vítimas de sequestro-relâmpago saltou de 22 casos, em 2017, para 71 registros apenas nos seis primeiros meses deste ano.

Além de propor a discussão, Donizet apresentou um projeto de lei que obriga, entre outras coisas, a instalação de câmaras de monitoramento nos veículos (as imagens ficariam em um banco de dados, por no mínimo dois anos, e só seriam disponibilizadas mediante ação judicial ou administrativa).



Deixe seu Comentário





* Campos obrigatórios

Poder no quadrado - Blog de política

Copyright © 2019 - Poder no quadrado | Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer texto ou foto deste site, em qualquer meio de comunicação, mesmo que citada a fonte, sem prévia autorização.

×Fechar