Robério Negreiros (PSD)

Nome completo: Robério Bandeira de Negreiros Filho

Naturalidade: Brasília (DF)

Profissão: Empresário

Telefone: (61) 3348-8190 a 8196

E-mails: dep.roberionegreiros@cl.df.gov.br

Site do parlamentar: www.roberionegreiros.com.br

Robério Negreiros foi eleito em 2014 pelo PMDB, com 25.646 votos, para o segundo mandato parlamentar. Depois, após divergências com Tadeu Filippelli, que comanda a sigla, deixou o partido e migrou para o PSDB, onde briga por protagonismo da legenda.

É empresário do ramo de segurança patrimonial e a empresa da família presta serviços para o GDF. De temperamento forte, já protagonizou algumas discussões na Câmara Legislativa, sendo a mais grave com o petista Chico Vigilante, que quase acabou em agressão física.

O parlamentar já enfrentou algumas denúncias. Em uma delas, no ano de 2016, chegou a ser investigada pelo Ministério Público por suspeita de nepotismo cruzado. Ele e o deputado federal Felipe Maia (DEM-RN) teriam feito acordo para nomear parentes um do outro nos respectivos gabinetes. A mulher de Felipe acabou exonerada da Câmara Legislativa e o processo foi arquivado.

Preso em 2004, por suspeita de fraude em licitação no Tribunal de Contas da União (TCU), Robério foi recentemente condenado em primeira instância e corre o risco de ficar fora das eleições de 2018, se chegar a perder na segunda.


Processos:

Robério foi condenado pela 14ª Vara Federal no DF por improbidade administrativa, após responder a ação por fraude em uma licitação do Tribunal de Contas da União (TCU), denunciada na Operação Sentinela, da Polícia Federal. Ele é acusado de assediar outros empresários para vencerem uma licitação de prestação de serviços em 2004.

A sentença, na esfera cível, determina que Robério perca os direitos políticos por cinco anos, fique impedido de contratar com o poder Público por três anos e pague, junto ao pai e à empresa da família, a Brasfort, 50% dos valores recebidos, conforme o contrato com o TCU. O distrital nega as acusações e diz que foi absolvido na esfera penal sobre os mesmos fatos.

 

Acompanhe os processos:

2007.34.00.032561-1 (nova numeração: 0032420-34.2007.4.01.3400)